Fixo: 55 11 4232-9671 - WhatsApp: 55 11 95190-4513 contato@avivamissoes.com.br

IEAB NOVA DELHI/ÍNDIA – UM RELATO DE PARTE DE SUA HISTÓRIA!

Em contato com nossa Missionária Eunice F. Agostinho, que se encontra em Nova Delhi-Índia, a mesma nos passou parte de seu testemunho Missionário naquela cidade. Acompanhe alguns detalhes e veja o agir de Deus naquele lugar através de sua carta a nossa edição do Site Avivamissões:

New Delhi Julho de 2018
Caros irmãos em Cristo

Atendendo ao pedido de alguns irmãos, estarei contando aqui um pouco da minha jornada missionária, para a qual Deus me chamou e me fez trilhar por mais de quarenta nações mas especificamente me enviou para servi-Lo na Índia, onde provavelmente será o meu campo missionário até a Sua volta.

Cresci em um lar dedicado ao serviço do Reino, o qual foi de grande importância na formação dos fundamentos da minha fé, caráter cristão e paixão pelas almas. Por algum tempo fui uma adolescente muito rebelde pois estava com a alma inquieta e ferida, buscando o sentido que justificasse a minha existência. Deus usou muito os meus pais, Pr. Alidio e Nair Agostinho, para intercederem por mim e pelos meus irmãos, até que fossemos transformados. Retornei ao Senhor aos 13 anos e fui batizada nas águas.

A vida cristã se tornou algo tão entusiasmante para mim que aos poucos comecei a perceber que tinha uma sede imensa de conhecer a Deus e também de alguma forma ajudar outros povos inalcançados a conhecê-Lo e chorava pelas crianças órfãs e carentes. Hoje podemos  entender que Deus já havia colocado missões no nosso DNA. A Palavra diz em Jeremias 1:5:

“Antes mesmo de te formar no ventre materno, Eu te escolhi; antes que viesses ao mundo, Eu te separei e te designei para a missão de profeta para as nações!”  

Aleluia!!! Somos escolhidos por Deus para cumprirmos uma missão especial na terra!

Fazem 26 anos que pisei pela primeira vez em terras indianas, mas 12 anos antes da minha chegada, o Espirito Santo já havia comunicado o plano do Pai. E a partir de então minha vida teve apenas um alvo, chegar na Índia. Lembro-me deste dia como se fosse hoje!  Estava cursando o último ano de Seminário Bíblico e como líder dos estudantes, convidei a Missão Antioquia para organizar 3 dias de conferência missionária. Deus abençoou com cerca de 300 pessoas e o Pastor Jonathan dos Santos trouxe líderes de várias agências missionárias para nos ensinar e desafiar para missões: AMÉM, ALEM, Operação Mobilização (OM), Missionária americana Barbara, equipe da Missão Antioquia e um indiano, Pr. Theodoro Willians, o qual era o diretor de um seminário no sul da Índia.

A presença do Espírito Santo era tangível e maravilhosa. Durante a ministração do pastor indiano, ouvi uma voz suave mas audível falar comigo, ‘Vou te levar para a Índia!’. Fiquei super entusiasmada pois sonhava me aventurar dentro de selvas perigosas, trabalhar na mais longínquas vilas possíveis – enfim me imaginava imitando o grande conquistador dos povos na África, David Livingstone…. Fiz mil e um planos de como ir o mais rápido possível a Índia, pois ‘as almas tinham de ser salvas, não poderia perder mais tempo!’. É claro que tudo deveria ser da minha maneira e da forma mais confortável possível e ainda não queria ajuda financeira de ninguém, pois podia trabalhar e me manter (wow!)… Mas para a minha surpresa Deus parecia não estar com tanta pressa assim…. O que me irritava muito. Ao contrário, me orientou para estudar Psicologia, e não Teologia como queria, e disse para ir trabalhar como voluntária na Missão Antioquia, a qual estava abrindo o escritório em São Paulo, o que fiz com prazer. Mas Deus fechou o coração da minha mãe em relação a trabalhar de tempo integral na Missão Antioquia. Tinha de trabalhar para manter meus estudos. Então para o meu sustento pessoal, o Senhor abriu uma tremenda porta de emprego de meio período na prefeitura e assim pude participar e ajudar missões oferecendo a outra parte do meu dia.

Eu sabia que estava numa escola de Deus. Ele estava me preparando e me capacitando para o campo missionário. Mas, naquele tempo, como foi difícil esperar com paciência no Senhor!! 

Nessa fase da minha vida acredito que Deus estava me ensinado os princípios da autoridade e da submissão. Eu era uma manipuladora profissional. Me achava muito esperta, e pensava que Deus não se importaria caso o fizesse com boas intenções. Um dia o Espírito me revelou na Palavra que a rebeldia é como o pecado de feitiçaria” (1Sm 15:23), eque é melhor obedecer a Deus do que sacrificar” (1Sm 15:22). Uma certa vez me colocou contra a parede. Ele foi enfático mas me falou com amor: “Como poderás obedecer a Mim que não vês se não obedeces aos seus pais (e autoridades) que você vê?” Naquele momento meus olhos espirituais se abriram e entendi que não precisava de usar da manipulações para que a vontade de Deus fosse cumprida na minha vida. Me arrependi das minhas atitudes rebeldes, soberbas e orgulhosas, e comecei a aceitar e a respeitar os meus pais e líderes. Notei que quanto mais rápido o fazia menos conflitos sofria.  Tudo parecia fazer sentido pois sentia a paz e a segurança de que Deus estava no controle total da situação. Não precisava ficar ansiosa ou preocupada com nada pois sentia a proteção do Senhor contra o inimigo. Aprendi que a submissão é uma decisão diária à vontade do nosso Deus, fazendo  diferença no mundo espiritual e refletindo no natural, pois como a Palavra diz: Submetei-vos a Deus, resisti ao diabo e ele fugirá de vós” (Tg 4:7).

Após dois anos e meio, o Pr. Jonathan me motivou para dar minhas férias como voluntária no Navio Doulos da OM* o qual estaria no porto de Santos durante junho de 1981. Achei uma ótima oportunidade e pedi um mês de férias do serviço e fui feliz da vida me juntar aos 70 voluntários brasileiros. Durante uma das devocionais, o Espírito me tocou profundamente. Era como se as palavras de 2 Corintios 5:15  saltassem aos meus olhos. Esta passagem diz: E Ele morreu por todos para que aqueles que vivem já não vivam mais para si mesmos, mas para Aquele que por eles morreu e ressuscitou.”

Foi como se um choque elétrico me atingisse. Tive a revelação sobre o que de fato era o Senhorio de Cristo. Os seus seguidores  só tinham uma opção: morrer para seus planos e sonhos e viverem 100% submissos aos desejos de Jesus. Ao mesmo tempo eu entendi que tinha de permanecer no navio* por 2 anos e meio, o que significava parar a universidade, abrir mão do meu emprego estável e seguro da prefeitura, além de todos os outros planos.

Bem, depois desta grande manifestação tão sobrenatural e reveladora do plano de Deus, talvez os irmãos pensem que eu pularia de alegria e dissesse, ‘Sim Senhor, eis me aqui, envia-me a mim!! Porém esta não foi essa a minha reação. Para minha surpresa fiquei dividida no meu interior, era como se algo dentro de mim gritasse ‘NÃO!’. E uma guerra de argumentos entre mim e Deus se iniciou ali, a qual durou um ano. Achei que Deus não estava sendo justo pois estava matando todos os meus sonhos de uma só vez….

Entretanto sabia que seria uma loucura maior se desobedecesse a Deus. Devido à minha imaturidade, resolvi coloca-Lo à prova e caso Ele provesse todos os requerimentos para a viagem sem a minha intervenção, então eu O obedeceria. Os requisitos eram: 500 dólares iniciais, e um sustento pessoal de 300 dólares mensais; a permissão dos meus pais e uma carta de recomendação da igreja. Após anunciar que estava ‘orando’ sobre a possibilidade de ir para o navio Doulos, pessoas vieram e me ofertaram (sem perceberem meu pouco caso). A igreja me deu a carta de recomendação sem nenhuma relutância. Mas, eu estava certa de que a minha mãe não concordaria com a minha ida, porque para ela eu teria de ir para o campo casada. Como de fato aconteceu, ela lutou com Deus durante alguns dias, até que Ele lhe fez a seguinte pergunta: “À quem pertence a tua filha?” ao que ela respondeu, “À Ti Senhor”, e amorosamente Deus lhe disse, “Então deixe que eu cuido dela!” Bem, ela enxugou as lágrimas e feliz foi fazer as minhas malas. Meio alegre e meio resmungando, não tive outra escolha além de pegar as malas e me unir ao navio!

Queridos amigos, não sei se pude convencê-lo de que Deus nos ama incondicionalmente e tem prazer em que participemos do Seu plano de redenção da humanidade, mas para tanto temos de crescer na graça e na sabedoria do Senhor, diante do Pai e dos homens. Os planos Dele para cada um de nós já foram escritos antes da fundação do mundo, e as nossas atitudes infantis não vão fazê-Lo desistir de trabalhar em nós o seu perfeito e maravilhoso propósito. Quanto mais perto estivermos do coração do Pai compreenderemos que o Seu desejo maior é de que conheçamos o seu Filho e O façamos conhecido entre os povos e nações da terra**.

Que Deus os guarde e faça resplandecer o Seu rosto sobre vocês e lhes dê a Paz!

Eunice Kumar
Missionária na India.
Casada com o Pr. Daniel Kumar
Tenho dois filhos, Kiran e Abhishek Caleb

*O ministério da OM é uma organização internacional que prepara obreiros de vários países para evangelizarem os povos inalcançados. Através dos navios Doulos e Logos, eles podem penetrar em muitas regiões resistentes ao evangelho.

**João 17:3, Salmos 96:3

Parte de uma linda História escrita pelo Dedo de Deus, em breve postaremos mais novidades…

A NAÇÕES E OS POVOS CONTAM CONTIGO…

Seja um Missionário Virtual atuante!!!

IMPRIMIR